UFSCar sedia 2° ciclo sobre crianças e adolescentes em situação de risco

Evento traz Ilina Singh, professora da Universidade de Oxford, que falará sobre ferramentas digitais na saúde mental

De 1º a 5 de dezembro, acontece o segundo ciclo da Escola de Altos Estudos (EAE) – Crianças e Adolescentes em Situação de Risco: Dimensões Éticas, Intervenção e Inovação Científica, proposta contemplada no Edital EAE nº 14/2018, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e realizada pelos programas de pós-graduação em Psicologia (PPGPsi) e em Educação Especial (PPGEEs) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar); pelos programas de pós-graduação em Psiquiatria e em Saúde Mental, da Universidade de São Paulo (USP); e pelos programas de pós-graduação em áreas correlacionadas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Federal Fluminense (UFF) e Universidade Salgado de Oliveira (Universo).

O encontro terá como convidada Ilina Singh, professora de Neurociência e Sociedade na Universidade de Oxford, onde realiza pesquisa conjunta entre o Departamento de Psiquiatria e a Faculdade de Filosofia (Centro de Oxford para Neuroética e Centro Uehiro). Seu trabalho examina as implicações psicossociais e éticas dos avanços da Biomedicina e da Neurociência para jovens e famílias e reflete um compromisso de longa data de levar as experiências de crianças e jovens à avaliação ética, tomada de decisão clínica e formulação de políticas.

Na UFSCar, Singh profere a conferência intitulada “Digital tools in mental health: social and ethical considerations” (Ferramentas digitais em saúde mental: considerações sociais e éticas). A palestra, que será ministrada em Inglês e com tradução simultânea, acontece no dia 2 de dezembro, a partir das 16 horas, no Teatro Universitário Florestan Fernandes, na área Norte do Campus São Carlos.

As inscrições para a conferência são gratuitas e devem ser feitas em www.eae2019-riscodesenvolvimento.ufscar.br/inscricoes. Podem se inscrever alunos de graduação dos últimos anos, em especial, nas áreas de Psicologia, Psiquiatria, Neurociências do Desenvolvimento e Educação Especial, pesquisadores e alunos de pós-graduação da UFSCar e de outras instituições e pesquisa. No escopo da EAE também haverá, na Universidade, a oferta de uma disciplina, além de conferências em São Paulo. A programação completa pode ser acessada em www.eae2019-riscodesenvolvimento.ufscar.br.

Sobre a Escola de Altos Estudos

A Escola de Altos Estudos (EAE) – Crianças e Adolescentes em Situação de Risco: Dimensões Éticas, Intervenção e Inovação Científica tem como objetivo principal disseminar conhecimento científico de ponta sobre o impacto de experiências de adversidade e negligência no desenvolvimento humano, bem como discutir possibilidades de intervenção, mantendo um olhar atento para as questões éticas envolvidas. A proposta é a de investir neste campo investigativo em três dimensões indissociáveis: a elucidação de abordagens preventivas; a divulgação de modelos clínicos e institucionais bem-sucedidos no atendimento de crianças e adolescentes em situação de risco; e a análise aprofundada dos aspectos éticos que norteiam a pesquisa e a intervenção com estes grupos. Mais informações sobre a EAE podem ser obtidas no site (www.eae2019-riscodesenvolvimento.ufscar.br) e em página no Facebook (www.facebook.com/eae.capes).

Sobre a pesquisadora

Ilina Singh é pesquisadora integrante dos projetos ADHD Voices, Neuroenhancement Responsible Research and Innovation e Urban Brain Project. Em 2014, recebeu o prêmio Wellcome Trust Senior Investigator Award pelo estudo intitulado “Tornar-se bom: intervenção precoce e desenvolvimento moral na psiquiatria infantil”. Além disso, contribuiu com vários grupos científicos e políticos, incluindo os Institutos Nacionais de Excelência Clínica do Reino Unido (Nice), os Institutos Nacionais de Saúde Mental dos EUA (NIMH) e o Nuffield Council on Bioethics. É copresidente do Conselho Consultivo de Ética do projeto EU-AIMS sobre tratamentos para o autismo e consultora especialista do National Autism Project. Já publicou pesquisas em revistas como Nature, Nature Reviews Neuroscience, Ciências Sociais e Medicina e American Journal of Bioethics.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *