TREM DAS ONZE

Entre malabares e mágicas, espetáculo aborda questões essenciais da vida e encanta pais e crianças.

Peça trata do fim e do recomeço dos ciclos da vida sob a perspectiva inusitada de dois palhaços. Temporada vai de 3 de outubro a 22 de novembro, em São Paulo.

Peça trata do fim e do recomeço dos ciclos da vida sob a perspectiva inusitada de dois palhaços. Temporada vai de 3 de outubro a 22 de novembro, em São Paulo.

A convivência entre dois palhaços, um mestre e um aprendiz, que se desentendem a todo momento e provocam situações cômicas, apoiadas em clássicos e divertidos números de mágica, malabarismos e acrobacias. A premissa é pano de fundo para o enredo de “Trem das Onze”, espetáculo escrito por Carlo Felipe Pace, dirigido por Alexandre Roit e produzido pelo Grupo 2πR – DoisPierre, que utiliza a arte como ferramenta essencial para a formação crítica, levando ao público infantil uma visão mais profunda de temas indispensáveis para a educação humana.

Baseada nesse princípio, a peça vai além de uma apresentação meramente divertida e se revela o estopim para uma discussão importante quando o palhaço Mestre, interpretado por Filipe Bregantim, recebe uma carta dizendo que ele deve partir imediatamente e precisa encontrar uma maneira de colocar o palhaço Aprendiz, representado pelo ator André Grinberg, para assumir o seu lugar. A partir daí, os dois buscam soluções para o conflito, enquanto preenchem o cenário com números circenses clássicos, que se misturam à história, conquistando a atenção e ganhando a reflexão dos espectadores a respeito de temas como o conflito entre gerações e a ansiedade do homem perante os mistérios da vida.

Com abordagem descontraída, o espetáculo “Trem das Onze” apresenta alguns questionamentos relacionados ao conceito de sentimento do absurdo, que segundo o filósofo Albert Camus surge a partir do momento que o ser humano percebe a distância entre os seus desejos e as limitações impostas pela realidade. A peça revisita, ainda, reflexões baseadas em conceitos como o Existencialismo, que se desenvolveu como escola filosófica nos séculos XIX e XX, para falar sobre a perplexidade humana diante da finitude da vida e da busca incessante por um sentido para a existência, questões abordadas quando um dos palhaços é obrigado a partir.

O objetivo não é falar sobre o fim de forma negativa, mas apresentar uma maneira de olhar para o encerramento dos ciclos da vida sob uma perspectiva plena, alegre e sincera, mostrando a importância de compreender que para todo final há sempre um recomeço. Além dos risos altos provocados pela dupla experiente na arte de divertir, a peça ganha outra protagonista muito especial: a trilha sonora assinada por André Vac, repleta do genuíno choro brasileiro, que empresta às cenas uma experiência emocionante e cheia de alegria.

Indicado para toda a família, “Trem das Onze” vai preencher o palco da Sala Crisantempo, na Vila Madalena, em São Paulo, entre os dias 3 de outubro e 22 de novembro (todos os finais de semana, exceto 14 de novembro), reunindo o encantamento do circo a um belo aprendizado sobre o tempo e a forma de lidar com as infinitas mudanças da vida.

Trem das Onze
Sala Crisantempo
Rua Fidalga, 521 – Vila Madalena
De 3 de outubro a 22 de novembro, sempre aos sábados e domingos, às 16 horas
[Dias 21 e 22 de novembro, às 11 horas]
Apresentação especial dia 12 de outubro, segunda-feira, Dia das Crianças
Não haverá apresentação no dia 14 de novembro
Entrada gratuita | Retirada de ingressos com uma hora de antecedência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *