PROTESTE ensina princípios de educação financeira para crianças

É possível falar de dinheiro em cada fase da infância

Inserir a educação financeira na rotina dos pequenos não deve ser um tabu entre os pais. As crianças tendem a aprender muito rápido e podem fazer isso de uma forma divertida. Conforme cada fase do crescimento das crianças é possível ensinar princípios como administração de recursos como a mesada, o conceito de economia e consumo consciente. A PROTESTE, associação de consumidores, explica o que pode ser feito em cada etapa da infância para que os filhos tenham consciência do valor do dinheiro.

A associação separou quatro dicas para quatro ciclos da infância onde é possível ensinar conceitos básicos de educação financeira:

0-2 anos

Durante a primeira fase da infância, até os dois anos, as crianças podem se divertir com brinquedos que simulam de maneira lúdica o que é valor de compra, como minissupermercados, caixas registradoras e pequenas cédulas. Também é possível conversar sobre dinheiro com os pequenos, ensiná-los em jogos educativos de matemática com soma e divisão, por exemplo.

5-6 anos

Com cinco anos, as crianças já sabem a diferença entre os números. Isso possibilita que os pais as introduzam as notas e moedas. Estabelecer uma pequena cota de gastos ajuda que as crianças tenham consciência sobre o orçamento e ensiná-los a ter uma meta de gastos e de economia também é algo a ser ensinado nesta fase. O exemplo dos pais será observado a todo o tempo pelos menores, e o controle de gastos é uma arma para o orçamento doméstico.

Aos 7 anos

Aos sete anos, as crianças já realizam contas básicas e podem ajudar a fazer a lista de compras antes de ir ao supermercado, aprendendo mais sobre consumo consciente. Ao seguir a lista da maneira planejada, elas entendem que comprar desnecessariamente pode prejudicar a saúde das finanças. Essa idade é a recomendada para iniciar uma mesada. Mas dar dinheiro não é suficiente. Incentivar a poupar e não gastar toda a quantia nos primeiros dias, pode refletir em como será a vida financeira da criança, quando for mais velha.

A partir dos 10 anos

Ensinar mais sobre o fluxo financeiro de forma simples, com conta de gastos e saldo, ajuda as crianças a entenderem como funciona qualquer empreendimento no futuro. Guardar dinheiro para uma meta a ser alcançada, ter uma cota de gastos semanais, são outros conceitos que devem ser aplicados nesta fase. Mais tarde, a matemática da escola ajudará a fazer contas mais complexas que podem ser aplicadas no dia a dia e será de grande valia para as próximas fases da vida.

PROTESTE EDUCA

O consumidor pode conferir algumas dicas de como cuidar melhor de seu dinheiro no programa PROTESTE EDUCA, que conta com técnicas que o ajudarão a refletir sua relação com o dinheiro, consumir de maneira racional, saber quais despesas podem desequilibrar as contas, organizar pagamentos, definir prioridades ao orçamento e muito mais. A plataforma tem apresentação interativa e intuitiva, pensando em oferecer ao consumidor uma experiência simples e objetiva. Para mais informações sobre educação financeira, basta acessar proteste.org.br/dinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *