Parque STEAM, da LEGO® Education, já está disponível para as escolas brasileiras

Primeiro produto capaz de aliar a brincadeira e a iniciação aos conceitos de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática ao público infantil foi lançado mundialmente em novembro e acaba de chegar ao Brasil

Após o lançamento mundial em novembro do ano passado do “Parque STEAM” – primeiro produto capaz de aliar a brincadeira e a iniciação aos conceitos de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática para as crianças entre 2 e 5 anos –, a LEGO® Education anuncia que a primeira leva já está disponível para as escolas brasileiras. Os produtos serão distribuídos oficialmente pela MCassab no País.

O “Parque STEAM” foi elaborado para desenvolver ainda mais os instintos inatos das crianças, como explorar, experimentar, observar e aprender; por meio da brincadeira. Já para o professor, permite cobrir diferentes atividades ao mesmo tempo, ou concentrar em apenas uma área quando necessário, tornando-o multifacetado e adaptável ao currículo. As possibilidades de criação são infinitas, desenvolvendo valores cruciais no aprendizado intelectual e humano, pois também promove a inclusão.

Por serem naturalmente curiosas, as crianças estão sempre buscando saber como as coisas funcionam. Por isso é tão importante incentivá-las desde cedo a investigar, observar e resolver problemas. Com o conjunto, elas serão capazes de transitar pelos conceitos STEAM com facilidade e diversão, montando um parque completo, com montanha-russa, trem, castelo, etc. E é assim, brincando, que entenderão assuntos complexos como causa e efeito, equilíbrio, movimento, força, probabilidade e reconhecimento espacial; além de trabalhá-los em conjunto com os colegas.

Com as recentes mudanças na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – inclusão das competências socioemocionais -, o produto acaba se transformando em uma excelente opção para as salas de aula. Segundo Maria Helena Guimarães de Castro, secretária executiva do MEC, “é impossível desenvolver o cognitivo sem desenvolver simultaneamente o socioemocional e o comunicativo, que são essenciais para a formação integral”.

Ou seja, se tais competências não forem trabalhadas, as chances desse aluno crescer e se tornar um adulto despreparado para o mercado de trabalho e convívio social são enormes. Uma pesquisa do Torrance Tests of Creative Thinking aponta que 98% das crianças com 3 anos de idade são gênios criativos, mas apenas 3% delas aos 25 anos são capazes de manter essa genialidade.

Para Sérgio Freire, head comercial da MCassab, se o Brasil quiser seguir os passos de países que são referência em Educação, deve começar agora e principalmente pelo público infantil. “Acreditamos fielmente que ao promover o impulso e a motivação das crianças para o aprendizado, as suas habilidades para ter novas ideias e imaginar alternativas, bem como se conectarem uns aos outros e com o ambiente à sua volta de maneira positiva, é essencial na realidade do século XXI. Sabemos que cada vez mais os executivos de hoje são contratados pelo cognitivo, mas demitidos pelo socioemocional, pois foram treinados apenas para desenvolver competências isoladas”. “Aqueles que se adaptarem melhor e mais rápido sairão na frente, tanto em termos pessoais quanto profissionais”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *