Livro aborda prática pedagógica na educação de crianças menores de 5 anos

Obra é fruto de um conjunto de estudos realizado no grupo História da Educação e Educação Infantil da UFSCar

Comprar

Educar as crianças nem sempre é uma tarefa fácil. Sobretudo atualmente, quando elas estão expostas aos apelos da mídia e do mercado, que oferecem uma infinidade de modismos e produtos. Será que há como controlar o acesso de crianças ao mundo digital? Devemos estimular os brinquedos educativos? Como formar nelas hábitos saudáveis de alimentação? Foi pensando em questões como essas que Alessandra Arce Hai, docente do Departamento de Educação (DEd) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), escreveu e agora está lançando o livro “Educação Infantil: alimentação, neurociência e tecnologia”, pela Editora Alínea.

O livro é fruto de um conjunto de estudos realizado no grupo de pesquisa em História da Educação e Educação Infantil, coordenado pela autora. “Esse livro soma-se a outras obras já publicadas cujo objetivo comum é pensar a prática pedagógica na educação de crianças menores de 5 anos”, explica Hai.

A obra trata de quatro temáticas que, embora distintas, se articulam no cotidiano educacional dentro da faixa etária enfocada: alimentação, neurociências, tecnologia e trabalho pedagógico. “Ao tratarmos cada uma dessas temáticas, procuramos desconstruir mitos e olhar para os caminhos que as pesquisas nos apontam para que possamos educar nossas crianças objetivando o seu desenvolvimento integral”, completa a pesquisadora.

Cada tema é abordado em um capítulo. São eles: “O prazer de comer de forma saudável: descobrindo e conhecendo os alimentos”; “Neurociências, Educação e crianças pequenas: entre mitos e possibilidades”; “O papel da tecnologia e da mídia na educação de crianças pequenas”; e “Como ensinar encantando as crianças? Pensando uma escola de educação infantil que favoreça o desenvolvimento integral”.

Por exemplo, o capítulo sobre o papel da tecnologia traz questionamentos que levam pais, mães e professores a pensarem até que ponto o uso de aparatos como celulares e tablets é benéfico para as crianças. A intenção, segundo a autora, é desmistificar a tecnologia e indicar direções para uma utilização saudável na educação das crianças.

Outro questionamento é relacionado a quem cabe a educação das crianças. E sobre isso, a professora da UFSCar enfatiza: “Pais, mães, cuidadores, professores, professoras e todo corpo técnico da escola sempre tiveram um papel decisivo na educação das crianças pequenas. No livro procuramos destacar o quanto é importante que todas essas pessoas procurem falar a mesma língua, tenham objetivos comuns no processo de educar os pequenos.

Quanto maior for a integração entre os diversos ambientes que educam a criança, mais pleno será o seu desenvolvimento”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *