Fórum Pensar a Infância

Especialistas do mercado audiovisual se reúnem no ‘Fórum Pensar a Infância’ para debater sobre o mercado de produções infantis

Como filmes, séries e animações, criados especialmente para crianças, são elementos importantes para a formação cultural delas? Para pensar e refletir como as produções audiovisuais destinadas às crianças moldam experiências e influenciam seu desenvolvimento, o 15º Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI), promove a 9ª edição do Fórum Pensar a Infância, dia 27 de setembro, das 10 às 21h, no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, em São Paulo. A programação, recheada de temas relevantes ao mercado audiovisual infantil, terá a presença de especialistas, e é parte do lançamento do calendário do FICI 2017. As inscrições para participar já estão abertas e podem ser feitas pelo site da unidade (sescsp.org.br/cpf).

Entre as atrações do ‘Fórum’ estão duas rodadas de master-classes: às 10h15, Mieke de Jong, roteirista holandesa, diretora dos filmes ‘O Circo do Rusty’, ‘Professor Sapo’ e da série ‘Sem Família’, fala sobre como usar o lúdico para representar a realidade às crianças na aula ‘Roteiro: narrativa para a infância’. Mais tarde, às 15h15, o diretor e roteirista chileno Andrés Waissbluth, de ‘Um Cavalo Chamado Elefante’, compartilhará suas experiências de sucesso na direção de filmes para a infância, na aula ‘Direção: Particularidades de um filme infantil’.

Uma das novidades dessa edição do Fórum são as rodadas de ‘Stand Up Content’, séries de conferências que reúnem profissionais e especialistas para estimularem experiências e pensamentos sobre o audiovisual infantil. Na primeira rodada, às 11h30, o público poderá se inspirar com as experiências ‘Linguagem e Narrativa’ do diretor colombiano Carlos Smith, que fala sobre documentários para crianças; Guilherme Peraro, da Kinopus, apresenta o audiovisual como ferramenta formadora, e Célia Catunda, aborda transposição de narrativas.

Na segunda rodada, às 17h15, o tema chave será ‘Entreter e educar: Conteúdo em plataformas digitais’, onde serão apresentados cases de sucesso no mercado audiovisual. Marcos Saraiva, conta o case ‘Monica Toy’; Andersosn Mahanski, apresenta ‘Any Malu’; Beatriz Maluf, que contará sobre o case Supernova e Fernando Collaço, fala sobre ‘PlayKids’.

Na última rodada, às 18h30, os keynotes darão luz ao tema ‘Narrativas, formas e trato’, e reunirá os diretores Anna Muylaert e André Pellenz, que falam sobre roteiros para a infância e direção de atores, respectivamente, e a cineasta Rosane Svartman, de ‘Pluft – O Fantasminha’ apresenta novas formas de contar histórias clássicas.

Os roteiros de filmes em animação, também estarão em destaque. Os roteiristas Victor-Hugor Borges de ‘Historietas Assombradas (para Crianças Malcriadas)’, Rafael Ribas ‘Lino, uma Aventura de Sete Vidas’ e Andrés Lieban ‘2DLab’, se encontram no painel ‘Anima-História: criação e produção’, mediado por Vanessa Fort, às 14h, e contam como construir narrativas para crianças, bem como elementos para atrair esse público, cada vez mais exigente, a partir de uma história bem contada.

O FICI será lançado primeiro em São Paulo (SP), de 21 de setembro a 1º de outubro; Estará de 2 a 12 de novembro em Salvador (BA), Aracaju (SE) e Natal (RN), e finalmente chegará ao Rio de Janeiro e Niterói (RJ) de 24 de novembro a 3 de dezembro. A programação completa está disponível em: http://festivaldecinemainfantil.com.br/.

Serviço
Fórum Pensar a Infância
Data: 27 de setembro (4ª-feira), das 10h às 21h – Evento gratuito
Local: Centro de Pesquisa e Formação | Sesc SP
Endereço: R. Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar, Bela Vista, São Paulo / SP

Sobre o FICI
O Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI), dirigido por Carla Camurati e Carla Esmeralda, chega à sua 15ª edição como o único festival com abrangência nacional dedicado ao público infantojuvenil. No FICI são exibidos curtas, médias e longas-metragens, brasileiros e internacionais, mostras especiais além de oficinas e debates. O festival já levou mais de 1,5 milhão de espectadores aos cinemas, e exibiu mais de 1.000 filmes de 25 países. O festival tem patrocínio do Ministério da Cultura, BNDES, Cinemark, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, apoio institucional do Sesc e apoio do Telecine, Globo Filmes, TV Brasil e Afinal Filmes.