Férias no CCBB SP

Confira a programação completa do Programa CCBB Educativo – Arte e Educação

Virada Inclusiva no CCBB tem visita mediada multissensorial na exposição 50 anos de realismo – Do fotorrealismo à realidade virtual. ColetivA Ocupação apresenta oficinas performáticas em frente ao CCBB. Oficina de Modelo Vivo, escultura em argila e encadernação animam as férias da criançada.

Chegou a época mais aguardada do ano: férias de verão! Para celebrar, o Programa Educativo do Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo preparou uma programação especial!

Em 7 de dezembro, A ColetivA Ocupação apresenta oficinas performáticas em frente ao CCBB. Formado em 2015, A ColetivA surgiu do movimento secundarista. As atividades irão explorar a linha tênue entre a rua e o teatro, a escuta, a arte e a luta.

No dia 10, em celebração ao Dia Internacional dos Povos Indígenas, o público poderá conferir a apresentação da dança do Xondaro, técnica guarani desconhecida da maioria dos brasileiros, seguida de uma roda de conversa sobre política, filosofia e espiritualidade indígena. A professora e ativista guarani Cristine Takuá conduz atividade.

Para a criançada, todos os finais de semana os educadores irão propor atividades que estimulam a ocupação, a convivência, a criação e o diálogo com a arte. Oficinas de modelo vivo, esculturas em argila e encadernação são algumas das opções. Os encontros acontecem das 10h às 12h e das 14h às 16h.

Confira abaixo a programação completa de dezembro do Programa CCBB Educativo – Arte e Educação:

DESTAQUES DO MÊS

10 DE DEZEMBRO | SEGUNDA-FEIRA | 17H ÀS 19H

Dia Internacional dos Povos Indígenas

Os guaranis possuem uma interessante técnica de luta desconhecida pela maioria dos brasileiros, até mesmo pelos adeptos das artes marciais. Ela se denomina Xondaro (pronuncia-se xondáro) e curiosamente lembra aspectos das práticas orientais, como a ênfase no equilíbrio, gestos baseados nos movimentos de animais e a atitude de “desviar-se” — preferindo não se contrapor ao oponente, deixando-o gastar suas energias. Assim como a capoeira, que pode exercer a função de luta ou de dança — conforme as circunstâncias —, a Xondaro também possui um papel múltiplo. Luta, dança e canto. Porém, como música e dança, a Xondaro está totalmente integrada às experiências religiosas xamânicas, aparentemente não sendo exercitada isoladamente como folguedo. No dia 10, o público poderá conferir a apresentação da dança do Xondaro, seguida de uma roda de conversa sobre política, filosofia e espiritualidade indígena. A atividade será conduzida por Cristine Takuá, professora e pertencente a Terra Indígena Ribeirão Silveira.

SÁBADOS E DOMINGOS | 10h às 12h e 14h às 16h

Lugar de Criação

Todos os fins de semana, os educadores do CCBB desenvolvem uma programação especial voltada para crianças e suas famílias. O projeto visa a ocupação, a convivência, a criação e o diálogo com a arte.

01 e 02 de dezembro | 29 E 30 de dezembro
Modelo Vivo

A Oficina de Modelo Vivo no CCBB SP propõe um momento de conexão e prática do desenho de observação. O público participa de forma colaborativa, tanto como modelo quanto como artista, em dinâmicas rotativas de 5 e 10 minutos, explorando e experimentando diversas materialidades e caminhos expressivos.

08 E 09 de dezembro
Moldando e Construindo: Arte em Argila

A partir de uma conversa sobre os aspectos patrimoniais e simbólicos do edifício sede do CCBB SP, o Programa Educativo convida o público a se instalar na área externa – em um ambiente ateliê – para produzir releituras de recortes e elementos arquitetônicos do prédio, tendo como suporte a argila.

15 E 16 de dezembro
Processos: Livro de Artista

Inspirados em livros-de-artistas, convidamos o público a criarem seus próprios livros a partir de releituras sobre técnicas e encadernação apresentadas pelos educadores do Programa CCBB Educativo.

22 E 23 de dezembro
Corpo Real

Alinhando experimentações corpóreo sensoriais à exposição 50 Anos de Realismo – Do fotorrealismo à realidade virtual, os educadores propõem práticas que tenham como mote a reflexão sobre o que é realidade a partir do uso dos sentidos. Serão investigadas as relações com o espaço, texturas, sons e referências visuais por meio de exercícios corporais.

CURSOS

05 DE DEZEMBRO | QUARTA-FEIRA | 17H

Laboratório de Crítica com Bruno Moreschi

Processo de seleção por formulário on-line: www.ccbbeducativo.com

O laboratório busca potencializar as exposições como espaços de formação e pesquisa para estudantes de arte, jornalismo, curadoria e história. Nesta edição, Bruno Morechi discute suas diversas experiências no campo da crítica institucional através de exercícios que irão problematizar elementos e práticas do sistema artístico contemporâneo. Essas atividades pretendem desconstruir a imagem da obra de arte (a partir de experiências com Inteligências Artificiais), o texto de arte (com práticas de expansões textuais) e destacar a atividade de pessoas que ajudam a construir o espaço de arte, quase nunca considerados no processo de entendimento da arte.

Bruno Moreschi é pesquisador e artista visual com projetos relacionados ao sistema das artes visuais, em especial aos espaços de legitimação de arte – com interesse na decodificação do campo em questão, revelando seus procedimentos e seus jogos de poderes. Doutorando em Artes Visuais pela Unicamp (Brasil), pesquisador da Capes, com passagem na University of Arts of Helsinki. Moreschi tem experiência em História da Arte com aulas e projetos reconhecidos por prêmios, bolsas e exposições como Rumos Itaú Cultural, Fapesp, Deviant Practice 2018-2019 Van Abbemuseum e 33ª Bienal de São Paulo. MAC USP, Museu Nacional da Colômbia, CCSP e CA2M (Madri) são algumas das instituições que possuem trabalhos de Moreschi, na maioria das vezes de uma maneira que problematizam suas próprias coleções e estruturas internas de funcionamento.

06 DE DEZEMBRO | QUINTA-FEIRA | 18H ÀS 20H | TRADUÇÃO EM LIBRAS

Transversalidades com Claudio Rubino

Processo de seleção por formulário on-line: www.ccbbeducativo.com

Curso voltado a professores e educadores, com o objetivo de abordar temas transversais aos campos da educação e da arte. Nesta edição, Claudio Rubino conversa sobre acessibilidade, vulnerabilidades e protagonismo das pessoas com deficiência. O curso abordará percepções de necessidades e expectativas dos participantes, privações de acesso e acessibilidade em equipamentos culturais e museus.

Claudio Rubino é licenciado e bacharel em artes visuais pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, pós-graduado em educação inclusiva com ênfase em deficiência física pela UNIFESP. Cursando pós-graduação Lato Sensu Especialização em Gestão Cultural Contemporânea: Da ampliação do repertório poético à formação de equipes colaborativas, promovido pelo Itaú Cultural em parceria com o Instituto Singularidades. Atua no desenvolvimento de ações colaborativas e participativas como gestor de acessibilidade cultural há quase duas décadas em diversos museus e equipamentos de cultura, como MAM SP, MAB FAAP, Fundação Bienal, Casa França Brasil, Museo Picasso, Brasil Connects, além de realizar consultorias de acessibilidade para equipes do Sesc, MASP, Museu da Energia de São Paulo, Fundação Altino Ventura, Caixa Cultural Recife, entre outras.

PROGRAMAÇÃO GERAL

7 DE DEZEMBRO | SEXTA-FEIRA |16H | EM FRENTE AO CCBB

Múltiplo Ancestral com A ColetivA Ocupação

O Múltiplo Ancestral é uma plataforma de trocas entre o público, as mestras e mestres ligados a diferentes saberes e práticas culturais, articulando a memória, o afeto e o patrimônio. Nesta edição, A ColetivA Ocupação apresenta oficinas realizadas em frente ao CCBB SP, compartilhando práticas performativas que exploram a linha tênue entre rua e o teatro, a escuta e a fala, a arte e a luta.

ColetivA Ocupação surgiu em 2015, como resposta a tentativa do Governo do Estado de São Paulo de impor um projeto para reorganizar e fechar mais de 100 escolas estaduais, sem consultar os estudantes ou a comunidade escolar.A partir disso, a luta secundarista seguiu por vários espaços, ganhou diferentes formas de expressão e de movimento – o teatro foi uma delas.

15 DE DEZEMBRO | SÁBADO | 18H

Com a Palavra… Mancha Leonel

O público poderá conhecer à exposição 50 anos de realismo – Do fotorrealismo à realidade virtual a partir de outros campos, olhares e modos de se relacionar com a arte. Nesta edição, o músico e produtor Mancha Leonel recebe o público em uma visita mediada.

Mancha Leonel está à frente da Casa do Mancha há quase 10 anos, tempo que construiu uma relação relação contínua e bem alicerçada com a música independente. Produziu shows em diversos locais na cidade até transformar sua própria casa num laboratório musical, dedicando-se a gravar discos, realizar shows, vídeos, fotos e uma infinidade de projetos tendo sempre a música independente como espinha dorsal de seu trabalho. Ja dirigiu videoclipe para a banda americana Superchunk, produziu discos de Stela Campos, Rita Braga [Portugal], Rumbo Reverso, foi músico de apoio para artistas como Rafael Crespo [Planet Hemp], Bárbara Eugênia, The Cigarettes, Laura Wrona, Supercordas e Bonifrate, dentre outros. Também foi curador do Dia da Música e consultor de trilha sonora para séries e documentários. Recentemente expandiu os limites físicos de sua casa levando o palco Casa do Mancha para o Festival Bananada [Goiania] e criando festival Fora da Casinha, que ruma pra sua terceira edição sempre muito bem aclamado pela crítica e público.

SEGUNDA, QUARTA, QUINTA E SEXTA | 11H E 17H | SÁBADO E DOMINGO | 12H E 17H

Visitas Mediadas

Os educadores do CCBB se juntam ao público para dialogar e trocar percepções acerca das exposições. Para participar, é necessário efetuar o cadastro 30 minutos antes de cada visita, no térreo. A capacidade é para até 20 pessoas, cada visita tem duração aproximada de uma hora.

SEGUNDA | 14H30 | SÁBADO E DOMINGO | 17H | TRADUÇÃO EM LIBRAS

Visitas Mediadas em Libras

Seguindo os mesmos princípios da visita mediada, a visita em Libras acolhe pessoas surdas e/ou com deficiência auditiva, numa experiência compartilhada com os educadores, nas exposições em cartaz. Para participar, é necessário efetuar o cadastro 30 minutos antes de cada visita, no térreo. A capacidade é para até 20 pessoas, cada visita tem duração aproximada de uma hora.

Visitas Educativas Agendadas

Mediada pelos educadores, as visitas são voltadas a grupos escolares ou não, e podem acontecer no período diurno, vespertino e noturno, com duração aproximada de 1h30. É possível escolher entre opções de visitas com atelier, apenas à exposição ou visita patrimonial. A capacidade é para até 44 pessoas, cada visita tem duração aproximada de uma 1h30.

E-mail para agendamento: agendamentosp@ccbbeducativo.com
Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo-SP
(Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô)
(11) 3113-3651/3652 | Quarta a segunda, das 9h às 21h
Assessoria CCBB SP: leoguarniero@bb.com.br
ccbbsp@bb.com.br | www.bb.com.br/cultura | www.twitter.com/ccbb_sp |
www.facebook.com/ccbbsp | www.instagram.com/bancodobrasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *