Cuidado com o Bórax ao fazer Slime

Diretora Executiva do Instituto Harris, Dra. Maria Inês Harris, esclarece os perigos do composto do “slime” e de outras substâncias presentes no dia a dia para as crianças

O post de uma mãe nas redes sociais, sobre a intoxicação da filha com um composto da massa de brincar conhecida como “slime”, deixou em alerta os pais de todo o Brasil. A goma, que a própria menina – assim como outras crianças – produzia em casa, continha bórax, ou borato de sódio. Já em 2002, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) proibiu um brinquedo chamado “Meleca Louca” por causa da presença do bórax. Ainda assim, 17 anos depois, a substância tem sido vendida e usada para preparo caseiro.

“O uso do bórax não é permitido justamente pelo risco de ocorrerem reações de intoxicação aguda. O emprego do ingrediente é regulamentado apenas para a produção de fertilizantes, produtos de limpeza e medicamentos”, ressalta a Dra. Maria Inês Harris, Diretora Executiva do Instituto Harris e especialista em avaliação de segurança de ingredientes na área cosmética.

O contato em grande volume ou por tempo prolongado com o bórax – mineral alcalino derivado da mistura de um sal hidratado de sódio e ácido bórico – pode causar intoxicação, com sintomas como náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarreia, cianose, queda de pressão, perda da consciência, choque cardiovascular e até a morte. Tais intoxicações já estão bem documentadas em estudos científicos.

Substâncias “atóxicas” – Além do bórax, outros materiais com os quais as crianças, eventualmente, têm contato – em brincadeiras e nos trabalhos escolares – podem causar sintomas, mesmo quando descritos como “atóxicos”. São os casos da cola, do bicarbonato de sódio e de alguns tipos de pigmentos. Segundo a Dra. Harris, esses itens podem no máximo ter um contato rápido e de baixo volume com a pele, sobretudo no caso dos pequenos.

“Se cair um pouco no dedo ou na roupa, de vez em quando, não há grandes riscos, porém se a quantidade da substância administrada for excessiva e a criança brincar ou mexer com ela por horas ou com frequência, pode haver intoxicação”, afirma a especialista.

Os pais precisam ficar atentos e, em caso de dúvida, a melhor escolha é evitar o preparo de slimes caseiros com quaisquer substâncias químicas. “As crianças podem manipular os slimes e tocar olhos, boca, nariz. Simplesmente não é adequado”, alerta a especialista.

Em caso de emergências ou dúvidas, acesse:

http://portal.anvisa.gov.br/disqueintoxicacao


Sobre a Dra. Maria Inês Harris
Diretora Executiva do Instituto Harris, a Dra. Maria Inês Harris é Química, com Ph.D. em Química (UNICAMP) e Pós-Doutorado em Toxicologia Celular e Molecular de Radicais Livres (UNICAMP) e em Lesões de Ácidos Nucleicos (CNRS, França) e é certificada no curso “Avaliação da Segurança dos Cosméticos na UE” (Universidade de Bruxelas, Bélgica). Atuou como gerente técnica de Pesquisa Clínica na Allergisa Pesquisa Dermatocosmética, gerente de segurança de produtos da Natura e especialista em métodos HPLC (High Performance Liquid Chromatography) na Alcon Laboratórios. Também foi professora do Curso de Especialização em Cosmetologia das Faculdades Oswaldo Cruz (São Paulo) por 19 anos e coordenadora de Pesquisa Institucional da Universidade Bandeirantes (atual Anhanguera) no Brasil. É autora dos livros “Pele – Estrutura, Propriedades e Envelhecimento” e “Pele – do Nascimento à Maturidade”.

Sobre o Instituto Harris
Exclusivamente voltado à avaliação de segurança dos ingredientes e produtos cosméticos – desde seu desenvolvimento até a produção –, assim como à consultoria científica e aos programas de treinamento e capacitação profissional relacionados às Boas Práticas da Fabricação (BPF), o Instituto Harris é referência em serviços de avaliação de riscos. Sua equipe experiente oferece suporte às atividades de criação de ativos e de produtos cosméticos desenvolvidos sob os mais altos critérios de segurança, sem o uso de testes em animais, para empresas nacionais e internacionais. Para mais informações, acesse o site, FB, Instagram e Youtube, ou entre em contato pelo tel. (11) 3129-5398 ou e-mail contato@harris.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *